Meu Perfil
BRASIL, Sul, CURITIBA, UBERABA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Livros, Cinema e vídeo, Ciência, Astronomia



Histórico
 01/10/2015 a 31/10/2015
 01/11/2013 a 30/11/2013
 01/10/2013 a 31/10/2013
 01/09/2013 a 30/09/2013
 01/08/2013 a 31/08/2013
 01/07/2013 a 31/07/2013
 01/05/2013 a 31/05/2013
 01/03/2013 a 31/03/2013
 01/02/2013 a 28/02/2013
 01/11/2012 a 30/11/2012
 01/08/2012 a 31/08/2012
 01/07/2012 a 31/07/2012
 01/06/2012 a 30/06/2012
 01/02/2012 a 29/02/2012
 01/01/2012 a 31/01/2012
 01/09/2011 a 30/09/2011
 01/08/2011 a 31/08/2011
 01/07/2011 a 31/07/2011
 01/06/2011 a 30/06/2011
 01/02/2011 a 28/02/2011
 01/01/2011 a 31/01/2011
 01/11/2010 a 30/11/2010
 01/10/2010 a 31/10/2010
 01/09/2010 a 30/09/2010
 01/07/2010 a 31/07/2010
 01/05/2010 a 31/05/2010
 01/04/2010 a 30/04/2010
 01/03/2010 a 31/03/2010
 01/01/2010 a 31/01/2010
 01/12/2009 a 31/12/2009
 01/09/2009 a 30/09/2009
 01/08/2009 a 31/08/2009
 01/07/2009 a 31/07/2009
 01/06/2009 a 30/06/2009
 01/05/2009 a 31/05/2009
 01/03/2009 a 31/03/2009
 01/01/2009 a 31/01/2009
 01/12/2008 a 31/12/2008
 01/11/2008 a 30/11/2008
 01/10/2008 a 31/10/2008
 01/09/2008 a 30/09/2008
 01/08/2008 a 31/08/2008
 01/07/2008 a 31/07/2008
 01/06/2008 a 30/06/2008
 01/05/2008 a 31/05/2008
 01/04/2008 a 30/04/2008
 01/03/2008 a 31/03/2008
 01/02/2008 a 29/02/2008
 01/01/2008 a 31/01/2008
 01/12/2007 a 31/12/2007
 01/11/2007 a 30/11/2007
 01/10/2007 a 31/10/2007
 01/09/2007 a 30/09/2007
 01/08/2007 a 31/08/2007
 01/07/2007 a 31/07/2007
 01/06/2007 a 30/06/2007
 01/05/2007 a 31/05/2007
 01/04/2007 a 30/04/2007
 01/03/2007 a 31/03/2007
 01/02/2007 a 28/02/2007
 01/01/2007 a 31/01/2007
 01/12/2006 a 31/12/2006
 01/11/2006 a 30/11/2006
 01/10/2006 a 31/10/2006
 01/09/2006 a 30/09/2006
 01/08/2006 a 31/08/2006
 01/07/2006 a 31/07/2006
 01/06/2006 a 30/06/2006
 01/05/2006 a 31/05/2006
 01/04/2006 a 30/04/2006
 01/03/2006 a 31/03/2006
 01/02/2006 a 28/02/2006
 01/01/2006 a 31/01/2006
 01/12/2005 a 31/12/2005
 01/11/2005 a 30/11/2005
 01/10/2005 a 31/10/2005
 01/09/2005 a 30/09/2005
 01/08/2005 a 31/08/2005
 01/07/2005 a 31/07/2005
 01/06/2005 a 30/06/2005
 01/05/2005 a 31/05/2005
 01/04/2005 a 30/04/2005


Categorias
Todas as mensagens
 Boca no Mundo
 Ciência, Astronomia
 Poesia e Literatura
 Outras Artes
 Filmes e séries


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 BLOG DAELN-UTFPR
 Mário Bortolotto
 Micos, Gafes & Vexames
 Bacia das Almas - Paulo Purim
 Proibido Ler de Gravata
 Márcio Américo
 BLOG da Merie
 Angeli
 BLOG da Livraria Osório SEBO
 Leo Jaime, o BLOG
 Crônicas, vários autores
 Diário de uma Prostituta
 NonaArte HQ's
 Bertoldo Schneider, Site
 Engenheiras de Saia
 Poéticas Profecias
 Espelunca - Ademir Assunção
 Stocker - Stockadas
 Bestiário (POESIAS)
 Mustafá & A Confraria
 UOL-BLOG
 Thadeu, Polaco poeta
 Mônica Berger, Poeta
 Poesia Jornal
 Astrália-Marcos Prado-Tributo
 Blog do Eltom
 Blog do Machado


 
QuasarGhost, The BSJ WeB Log
 

Capusso, outra dica do Bebum

Essa aí abaixo eu pesquei do blog do Mário Bortolotto, cujo link está listado ao lado. O Bortolotto é um cara bem relacionado. Eu digo que é um cara bem relacionado porque ele conhece muita gente que merece ser conhecida. Li alguns de seus livros e alguns dos que ele indicou. Foi através de seu Blog que conheci o Poeta (que merece esse P maiúsculo) Sérgio Mello, um top-five no Brasil... conheci "Meninos de Kichute" do Márcio Américo e  até aprendi apreciar os beats... e uma porrada de coisas boas. Não tenho idéia de quem seja Jarbas Capusso Filho, mas se ele escreve coisas como esta aí embaixo, coisa ruim não deve ser.

 

"Já  imaginei  um urso  polar   da  jihad   baleado  em  gaza  até  sonhei  com  uma  backing vocal  negra  me  beijando  no  japão  e  já delirei  com  uma  pá de freiras virgens se drogando  na  minha  sala  mas  nunca  imaginei  você,  no  cinema,  segurando  a  minha  mão!"

(Jarbas Capusso Filho)



Categoria: Poesia e Literatura
Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 19h24
[ ] [ envie esta mensagem ]



Num setembro de 2005

O granizo põe fim ao treino

23 covardes fantasmas

correm na neblina

e água e obuses gelados

cuspidos por anjos felados.

A bola esquecida

no meio do gramado

dimensiona o real afeto

que o Homem tem

por seus amores.

(BSJ)



Categoria: Poesia e Literatura
Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 18h56
[ ] [ envie esta mensagem ]



Minha cabana I

Olhando de fora

minha cabana não mostra,

só tem portas de entrada.

Mas quando estão dentro reparam

quão poucas coisas

de fora ficaram

E que a trilha era a errada

(BSJ)



Categoria: Poesia e Literatura
Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Primeiro Beijo

 

Meu primeiro beijo

não foi só o primeiro beijo

na primeira vez

na primeira boca

 

Meu primeiro beijo

aconteceu nas primeiras vezes

com cada um dos anjos que me seqüestraram

e com os demônios que os transformei.

Meu primeiro beijo sempre foi de santo

Deixava todas mudas

Só eu percebia

Que meu primeiro beijo

Era de Judas.

(BSJ)



Categoria: Poesia e Literatura
Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Astronomia, Ciência e Ficção

 

 

Esta é a resposta que vi do Spielberg numa entrevista muito boa. Nem é preciso saber a pergunta.

 

Ï think childhood impressions are the thing that stay with you the rest of your life. Those are the things that never go away. You learn and forget things in your adult years, but you never forget your childhood. You will never forget some of the seminal moments you had with your parents. And that moment where my dad took me out and showed me a meteor shower, the Perseus meteor shower... I had never seen a meteor  shower before. And the first time he got me my first reflecting Telescope... that he made... He handmade from a little tube that had a carpet wrapped around it before he took it and ground the glass and actually made this thing. He made the all the optics himself. And I think in that sense, my dad gave me the greatest gift next to the gift of life that he and my Mom gave me. He gave me an opportunity to apply my imagination to things that he first introduced me to, like the sky, like the stars, like the mystery of what's out there, and like the certainly that we are not alone.”

 

Uma simples lupa! É isso, uma simples lupa. Às vezes basta isso para dar sentido a uma vida, ou uma pá, ou uma pipa, como saber? No meu caso foram duas retas e um retângulo. Mas esta é outra história.



Categoria: Ciência, Astronomia
Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 16h48
[ ] [ envie esta mensagem ]



Histórias de meu pai II

Mais de dez anos depois de casado, vim a saber que meu pai pensava que eu tinha um filho, um filho largado pelo mundo... ele pensava que estava nos Estados Unidos. Não me lembro o porquê, mas a coisa ficou séria e tive que investigar sua desconfiança. Minha mãe contou-me que ele lera, nos meus tempos de estudante, uma carta de uma ex-namorada que chegara em suas mãos lá no interior, na cidade alta, cidade dos ventos. Deixem-me avisá-los que meu pai nunca foi de bisbilhotar coisas dos outros, é que temos o mesmo nome.. ou tínhamos. Ele abriu a carta e quando percebeu, já tinha lido tudo. Guardou aquilo durante muitos anos. Claro que quando eu soube, tive que fazer uma investigação. Ele conseguiu botar pilha até em mim. Depois de muita busca e cruzamento de datas, contas, descobri que não podia existir tal criança. Os tempos não batiam, não era possível. Descobri a tal carta, descobri o engano de interpretação que meu pai cometera, expliquei toda a coisa para minha mulher, que até me ajudou a relembrar das coisas, expliquei também para minha mãe e pedi para que ela deixasse meu pai tranqüilo. Acho que o que o afligia era que ele sabia que estava para morrer e não queria partir sem conhecer seu neto imaginário. Não sei o que ele pensou quando soube que eu não tinha filhos por aí... Ele nunca me disse nada. Assim era meu pai. Antes dele morrer eu lhe dei duas netas que ele adorava, idolatrava. Passou vários anos corujando. Vi várias vezes em seu rosto aquilo que qualquer filho quer ver no rosto de um pai. Sou feliz por isso. Nunca precisamos de palavras. Ele sabia que eu o amava e eu sabia que ele me amava, não precisávamos dizer isso.

Eu estava com ele quando os últimos sinais dos eletrocardiogramas sumiram das telas. Ele foi assim. Sem palavras. Como sempre vou me lembrar dele. Um Pai... como qualquer um gostaria de ter.

Escrito por Bertoldo Schneider Jr. às 20h36
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]