Cry, Argentina

Faz tempo que não me dedico a este Blog. Não tenho tido tempo nem para ler emails profissionais, mas hoje ‚ um dia especial, um dia de júbilo... o dia que a Argentina perdeu a máscara diante do mundo todo. E nem deu para salvar as aparências. O tal do 'Messi' saiu sem fazer nenhum gol e o todo-poderoso semideus (só para os argentinos) Maradona teve que sair com o rabo entre as pernas depois do canudo de 4x0 que levaram da Alemanha. Não entendo esta coisa de brasileiro torcer pra Argentina por conta de torcer para o futebol talentoso. O da Alemanha hoje foi o quê? Ninguém lembra como a Argentina se classificou? Na sorte e nos últimos minutos? Ninguém lembra que o Maradona estava sendo considerado um técnico abaixo do medíocre? E por causa de uma jogada fortuita que classificou a Argentina o cara agora é gênio? PQP, povinho besta! Ainda bem que há alguma justiça no futebol. Esse sujeitinho chamado Maradona, um péssimo exemplo quase para qualquer coisa que se pense, tinha que ser colocado em seu real lugar na história: o de um jogador que teve sorte. Eu vi toda a carreira do baixinho e nunca me impressionei com nada. A ousadia de se comparar com Pelé é uma estupidez que só argentino embarca. Estarei em dois meses na Argentina. A ideia do Maradona de correr pelado pela praçaa mais importante de Buenos Aires está me parecendo boa, com um monte de brasileiros vestindo camisas do Brasil e da Alemanha. Quero deixar claro que sempre admirei o time da Argentina e a garra dos argentinos. O problema é que eles tinham esse câncer entre eles, que capitalizava todas as glórias para si e que o complexo de 'eurosuperioridade' argentino engolia com farofa. Nessa copa eu queria um "F..-se o baixinho?". Estou contente, hoje!